terça-feira, 14 de outubro de 2008

A vida e seus ciclos previsíveis: 10 de Outubro de 2008



Nunca estive tão de frente comigo mesma. Nunca vivi esse sentimento de “prestação de contas” com tanta intensidade. São 23:05 do dia 09 de outubro e espero que essa melancolia passe para que eu possa desfrutar do meu dia tão sonhado e esperado dia.
Quando criança os aniversários que demoravam tanto, hoje me atropelam sem que eu sinta. Tantos aniversários que me recordo: os da infância, os tenho bem-vivos na memória por conta das fotografias que povoam o mural do meu quarto; os da adolescência que esperava urgentemente por uma liberdade e independência que hoje eu tenho e não sei bem o que com ela faço e os da fase adulta que trazem uma maior riqueza de detalhes em virtude do pouco tempo decorrido.
E o que acontecerá amanhã? A apoteose do equilíbrio ou a ausência dele? Tantas pessoas que estiveram perto e por algum motivo não mais poderão celebrar um ano da minha vida ao meu lado. E isso realmente dói. E tantas que AINDA vão viver comigo esse momento: meu irmão/irmã, meus filhos, meus netos, meus futuros-amigos!
Fazer aniversário é o ápice de todo o egocentrismo que temos recôndito no peito! Será que comemorar o aniversário não é uma espécie de “compensação” da nossa própria mediocridade? Não! As dificuldades da vida não diminuem a felicidade trazida por um abraço de um amigo que mora distante. Agruras e sofrimentos não apagam a paz desencadeada pela reconciliação com alguém que se ama. Dor nenhuma pode ser maior que a alegria proporcionada por uma bela “resenha” celebrada entre colegas-amigos e amigos-colegas e o processo desencadeado pelo conhecimento diário que a mesma proporciona.
Não há sofrimento que não desapareça com um carinho de amigo, um telefonema de saudade, uma fofoca irresistível. E os beijos das crianças? E os abraços dos pequenos? E os meus alunos grandinhos não precisam se sentir enciumados, não! Abraço de aluno é coisa boa demais! Abraço de quem só te abraça por gostar mesmo de você. É, isso mesmo! Quase 10 anos lecionando, a gente sente quem só quer “fazer média” porque precisa de média!
A angústia de não saber que caminho rumar aparece nas nossas vidas em momentos cruciais, mas quando você se lembra que têm AMIGOS, ALUNOS, COLEGAS, PARCEIROS, VÒ, VÔ, PAI e que ainda vai ter um outro irmãozinho que vai transformar completamente a sua vida, a angústia não prevalece! O maior presente que Deus podia ter me dado foi a minha vida, para conhecer e amar todos vocês que sabem o quanto são importantes na minha humilde e complicada existência.
Todos vocês sabem: Vim ao mundo para amar! E aqui estou cumprindo a minha tarefa.
 
OBRIGADA POR EXISTIREM EM MINHA VIDA!!!!
 

 

5 comentários:

Nuninho disse...

Que texto "bónito" gata... Bejão!

JuJuBa disse...

Nossa Dani, que reflexão bonita acerca do seu aniversário. Essa melancolia é absolutamente normal, volta e meia eu tbm fico assim. Mas além do aniverário ser o "ápice do egocentrismo humano" ele também é uma data que nos aproxima do que há de mais precioso em nossas vidas, a pessoas que nos amam...

mariana disse...

ooo Danny, pode ter crtz
que na mesma proporção [se nn for maior...] q voc aama, voc tb eeh amada !! Beju !

Patarata disse...

Imaginando aqui se essa alma desnuda já se vestu novamente, de alegria, de encanto tal qual há também em seu interior...

Felicidades
;)

Daniely disse...

Treizim mais lindo^^'
amo e amo!

Texto mais lindo Dani, parabéns!